Matéria > Agricultura

Safra 2021/2022: Santana do PI produz 40 toneladas de mel, comemora secretário de Agricultura

Santana do Piauí é considerada uma das maiores produtoras de mel de abelha da região semiárida piauiense.
Renata Santos - 25/09/2022
12 Visualizações
PMSP-IMG-65d782bfd916c2e1e7b.jpg
Fotos: João Rodrigues

Santana do Piauí é considerada uma das maiores produtoras de mel de abelha da região semiárida piauiense. O município dispõe de uma associação de apicultores e uma casa para beneficiamento do mel. Com safras anuais batendo a casa das toneladas, a apicultura santanense tem exportado sua produção apícola para Estados Unidos e Europa, gerado dividendos econômicos para as famílias produtoras e movimentado a economia local.

“O sucesso da apicultura santanense se deve, em primeiro lugar, a Deus, depois aos esforços dos apicultores e ao incentivo da gestão municipal, que vem dando suporte logístico aos produtores. A gestão da prefeita Maria José, através da Secretaria Municipal de Agricultura, tem se consolidado como parceira dos apicultores locais”, destacou Netinho Moura, apicultor e gestor da pasta.

De acordo com o secretário de Agricultura, Netinho Moura, a safra apícola 2021/2022, em Santana do Piauí é considerada satisfatória. Segundo o gestor, cerca de 35 apicultores produziram em torno de 40 toneladas de mel.

“Eu considero a atividade apícola em Santana, de suma importância para a geração de emprego e renda, já que o mel produzido no município é exportado para o mercado internacional, via Casa Ápis, agregando valor ao produto”, destacou Netinho Moura.

Um dos valores agregados ao mel produzido em Santana do Piauí, destacado pelo secretário Netinho Moura, é a qualidade do produto, classificado como orgânico. 

“O mel santanense é puro, livre de toxinas, tem selo e classificação orgânica, o tipo mais valorizado no mercado global”, comemorou o secretário.

Além da qualidade do produto, Netinho Moura também destacou o aumento do número de produtores no município. Segundo ele, a cada ano, aumenta a quantidade de pessoas inseridas na produção apícola local.

“Devido ao sucesso quantitativo e qualitativo da apicultura santanense, a cada ano, aumenta o número de famílias envolvidas na atividade dentro do município”, avaliou Netinho Moura.

Netinho Moura ainda destacou que Santana do Piauí dispõe de duas modalidades apícolas, a apicultura fixa e a apicultura migratória, esta última consiste no transporte de enxames para áreas de florada em outros estados nordestinos, durante o período seco na região semiárida, só retornando para o município com a volta do período chuvoso. Segundo o secretário e apicultor, essa modalidade, além de aumentar a produção, também altera a composição do mel, devido a particularidades floral.

“O mel produzido pela apicultura fixa, em nosso município, é classificado como poliflora, resultado da visitação das abelhas à flores de diferentes espécies vegetais, enquanto que o mel produzido pela apicultura migratória é considerado monoflora, resultado da visitação das abelhas a flores da mesma espécie vegetal, este último sendo mais apresentável, geralmente mais claro, e mais valorizado no mercado internacional”, explicou Netinho Moura.

Por: Santana Hoje